Ficarei quieta, ouvirei meu corpo, descansarei minha mente, deitarei na rede e se ouvir passarinhos, sorte minha!

Por Stella Rebecchi

Já escrevi muita coisa sobre adicção; adicção de álcool, de anfetaminas, cocaína, jogo, compras, sexo, comida, enfim, várias compulsões
incontroláveis. Atualmente percebo um bombardeio de informação de todos os assuntos e que não podemos perder nada, temos que ficar por dentro de tudo. A adicção é pela palavra! Uma necessidade de falar, falar, sobre qualquer assunto. Monte de gente fazendo Lives, inclusive eu. Essa peste está mostrando um aspecto da gente que não era comum, não era facilitado.
Agora nos igualamos aos artistas falantes! Todo mundo fala, fala bem, ou errado, mostra, ensina, ou incita, não importa o quê! Lives, podcasts, youtubes, instagran, ensinando, obrigando, dirigindo a vida. Já fiz umas três receitas de pão. Tanto faz, ciências humanas ou exatas. Qualquer coisa está valendo. Até como tirar unha encravada. E dá-lhe de meditação, meditação! De todo tipo como se fosse a coisa mais moderna e a única saída. Há um exagero para todo lado. E não há descanso. Como meditar, orar?

Atualmente percebo um bombardeio de informação de todos os assuntos e que não podemos perder nada, temos que ficar por dentro de tudo. A adicção é pela palavra! Uma necessidade de falar, falar, sobre qualquer assunto.

 

Coitado do Hemisfério esquerdo deve estar morto de cansado. O pior é que é muito difícil não ver, não abrir o whatsapp, o Instagram, saber da vida de todo mundo ao redor e bem longe. Um mundo de alegria e sorrisos ao lado daqueles que estão morrendo de fome, cortadores de
legumes ao lado das personalidades narcísicas. Selecionar. Mas como?

Em contrapartida, quanta coisa maravilhosa, quanto assunto interessante, de lugares e coisas que nem sempre dá tempo de ver. Livros, filmes,
música, descobertas, gente… Quanta informação sobre saúde importante. (aliás, até demais.) Quantas fotos incríveis. Não dá para escrever tudo que existe nesse mundo virtual.

Não dá para escrever tudo que existe nesse mundo virtual.

 

Mas hoje para mim, a verdade é uma só: minha cabeça anda doendo, tenho enxaquecas visuais, minha mente está agitada e começo a ter
dificuldade para dormir. Não é culpa da pandemia é culpa da falação, do meu telefone que mostra mais do que eu aguento saber e ver. Tenho
cansaço mental, estou adicta pela fofoca, pela informação, pela coisa séria e pela futilidade. Calma! O mundo não vai fugir pela fresta de meu Iphone. Não preciso saber de tudo.

Me proponho, para começar, na manhã ou na parte da tarde, a não pegar o telefone. Só por hoje ainda é muito, então só por algumas horas no dia de hoje, não bisbilhotarei.

Ficarei quieta, ouvirei meu corpo, descansarei minha mente, deitarei na rede e se ouvir passarinhos, sorte minha! Está muito frio para “ouvir estrelas”.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *